Black Friday: veja dicas de como aproveitar bem promoções


Data deve movimentar R$ 147 milhões no DF, diz Procon. Cerca de 84,2% das empresas de 16 segmentos do comércio de bens, serviços e turismo vão participar do saldão na última semana de novembro. Maioria dos lojistas espera vender mais no meio físico, segundo levantamento da Fecomércio.
Artur Bernardi/TV Globo
Com a promessa de boas promoções, a Black Friday de 2023 é em 24 de novembro. No Distrito Federal, o comércio espera movimentar até R$ 147 milhões e cerca de 84,2% das empresas de 16 segmentos do comércio de bens, serviços e turismo vão participar das promoções na última semana de novembro, segundo levantamento da Fecomércio.
✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 no WhatsApp.
Ao g1, o diretor-geral do Procon-DF, Marcelo Nascimento, explica que o ideal para aproveitar as promoções é começar a pesquisa semanas antes da Black Friday.
“Planejamento prévio permite o comprador de se precaver da maneira financeira, não comprar por impulso e poder identificar se aquele produto está na promoção ou não”, diz.
As principais dicas para tirar o melhor proveito da Black Friday, segundo Marcelo, são:
🔎Pesquisar o produto: identificar o produto que vai querer comprar e começar a pesquisar antes.
✍️Planejamento financeiro: saber se realmente precisa do produto, se vai caber no orçamento, fazer análise financeira da situação e como será pago.
➡️ Dica de ouro: acompanhar a evolução dos preços para poder identificar se é promocional ou se é apenas uma maquiagem no preço — capturar as telas, guardar folder, panfleto
Estratégias dos lojistas
De acordo com levantamento da Fecomércio, a maioria dos lojistas (98,3%) espera vender mais no meio físico. Apenas 1,7% acredita que as vendas serão melhores pela internet.
Em 2022, a maioria das vendas foram em lojas físicas durante a Black Friday (97,4%).
Em relação ao pagamento, os lojistas esperam vender mais:
💳Cartão de crédito: 85,5%
💳Cartão de débito: 13,3%
📲Transferência ou no Pix: 2%
💸Dinheiro em mãos: 1,2%
De acordo com o levantamento da Fecomércio, as principais estratégias adotadas pelos vendedores na Black Friday serão:
🛍️ Promoção: 35,2%
📱 Divulgação em redes sociais: 22,8%
🏷️ Diversidade de produtos: 22,1%
📦 Desconto para compras à vista: 8,2%
Fiscalização do Procon para a Black Friday
A operação de fiscalização dos preços e promoções para a Black Friday começou em setembro, segundo o diretor-geral do Procon, Marcelo Nascimento. Inicialmente, os fiscais acompanharam os preços em alguns sites de varejo.
Agora, em novembro, a fiscalização chega às lojas físicas. Segundo o diretor-geral, os fiscais do Procon vão analisar anúncios e material publicitário, informações sobre polícia de troca e formas de pagamento, detalhamento dos juros embutidos e se os preços estão expostos e visíveis nas vitrines.
Marcelo reforça que canais do Procon estão abertos para dúvidas ou para ajudar na solução de problemas. Veja abaixo:
telefone: 151
e-mail: [email protected]
unidades de atendimento presencial: veja lista dos 10 endereços
Como não cair em golpes
Segundo a advogada Giovana Monte, que é especialista em Direito do Consumidor, os golpes mais comuns em épocas de grandes promoções como a Black Friday são:
Produtos que não estão com desconto, apenas simulam uma promoção, colocando como se o valor normal fosse bem mais alto
Preços diferentes ao se concluir a compra
Sites falsos apenas para obter os dados do comprador
De acordo com o diretor-geral do Procon, os golpes são mais praticados nas lojas virtuais e no meio digital. Para o consumidor não se tornar uma vítima e perder dinheiro, os especialistas dão algumas dicas:
Pesquisar reputação da empresa: procurar no sites do Procon, em sites de reclamação, consultar o CNPJ na receita federal
Verificar se o site apresenta requisitos de segurança: cadeado antes do https, plataforma de pagamento seguro
Nunca clicar em links recebidos por SMS ou de desconhecidos
Prestar atenção ao valor final da compra
Priorizar pagar com cartão virtual, para maior proteção dos dados pessoais
Desconfiar de preços abaixo do valor de mercado
Desconfiar das publicidades que são oportunidade única, como por exemplo: “vai comprar hoje ou nunca mais” ou “em três horas a promoção vai acabar”
LEIA TAMBÉM:
COMPRAS SEGURAS: Veja como se proteger de golpes virtuais e fazer compras seguras na internet
BLACK FRIDAY: Veja dicas do Procon-DF para evitar dor de cabeça com compras
Leia mais notícias sobre a região no g1 DF.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.